RSS

Motodax – Club Sandwich

01 Nov

You want the greatest thing
The greatest thing since bread came sliced

Esses versos são da música Imitation of Life, do R.E.M., uma banda esquisita que costumava fazer sucesso há um tempo. O vocalista é um tresloucado, uma versão careca e alienígena do Renato Russo, que canta frases como essas com uma suavidade agressiva, uma coisa difícil de ser explicada. Longe de ser uma banda de rock tradicional, o R.E.M. tinha, ainda assim, uma atitude rebelde que era possível ser entrevista por baixo daquele aparente bom mocismo. A atitude do vocalista, esse Renato Russo alienígena cujo nome não sei nem quero saber, parece ser o artigo mais raro nas bandas de hoje em dia. Há todo o entorno: a pose, as palavras-chave, a aparência, o artificial brilho nos olhos de quem pensa em mudar o mundo. Mas aquela atitude objetiva não. Estamos vivendo, nestes tempos malucos em que um ex-KLB começa a lutar MMA, uma imitação da vida, como cantava o R.E.M. Temos o repertório de tempos doutros, temos a vaga ideia do significado das coisas, mas não há o mojo, a essência natural dos objetos. Tempos, portanto, bares decorados para parecerem um boteco de beira de estrada, em que se pode pagar 30 reais num frango à passarinho, temos um empório que simula um antigo armazém, e temos lanchonetes (já descritas aqui, aliás) com decoração grandiloquente inspirada na cultura motociclística. Entretanto, o interior é a mesma coisa: a playboyzada, o público interessado nessa imitação da vida, no saudosismo de uma liberdade nunca experimentada, na fuga da realidade para uma segunda e humanamente mais perfeita realidade, moldada aos gostos e aos complexos e às fobias do homem moderno.

Mas eis que, na nossa andança para mapear o hambúrguer de Curitiba, encontramos a atitude certa, a sinceridade quem ninguém mais quer ter. O Motodax, este sim, um verdadeiro point de encontro da irmandade motociclista. Longe do estereótipo das caveiras, das longas barbas grisalhas, das tatuagens pelos braços e as caras enfezadas. De fato, a única coisa que resta desse modelo ultrapassado de bad-boy da estrada são as motos customs e as rotundas panças. Isso porque quem gosta de moto gosta do prazer de viver a vida, e comer é, como todos sabem, a segunda necessidade fisiológica mais prazerosa que existe. E, obviamente, um lugar desses não apostaria no gourmet, na frescurite de quem quer vender carne de segunda por 30 reais, mas em algo realmente de qualidade, para saciar as esféricas barriguinhas enquanto a moto recebe um trato. Foi aí em que apostamos as fichas de uma quarta-feira que tivemos para nos dedicar a essa missão.

E olhe só que beleza! Justo a quarta-feira é o dia de promoção do Motodax, com pratos pela metade do preço. Esse lugar já começou a ganhar meu coração. É claro, algo tão tentador não poderia resultar em algo diferente do que falta de cadeiras, “dá uma licencinha, amigo?” e afins. Tudo bem, eu espero que as pessoas realmente tomem proveito desse tipo de situação. Nada pior do que oferecer um agrado à população e ser quantitativamente rejeitado. Não espere nada menos que o sucesso.

O cardápio de hambúrguer é relativamente diminuto, mas como o lugar se apresenta como um “café” e não como uma “hamburgueria” (se é que essa palavra realmente existe), as quatro opções formam até um grupo considerável. Não pestanejei para escolher logo a opção mais pantagruélica do recinto, o Club Sandwich.  Esse nome é genérico. Os sanduíches “club” geralmente são uma modalidade em que o hambúrguer vira uma refeição aberta em um prato. O arroz se transforma no pão, a carne é aquele bom e velho disco suculento, as batatas fritas e a salada ocupam o lugar de sempre. Tão nutritivo quanto o seu bandejão diário, na teoria. Mas o Club Sandwich do Motodax não é tão ordinário assim. O prato é incrementado com bacon, cheddar e cebola frita no molho shoyu. Nada parecido com seu bandejão diário.

Como o Murilo gosta de dizer, “tá aqui o bicho”.

Motodax

E que beleza de sanduíche, meus amigos! O combo queijo cheddar e cebola frita no molho shoyu nunca falha — prova disso é a adoção da receita pelo McDonald’s com o Cheddar McMelt, receita tradicionalmente brasileira na rede americana (não tentem procurar esse sanduíche fora do Brasil). A cebola aqui era fininha e cortada em rodelas, uma ótima opção de formato se considerarmos o princípio básico de aderência na relação tipo de massa/molho. Assim como o spaghetti, o bavette e o spaghettini, a cebola fina aglutina sobre sua superfície mais shoyu, um molho ralo e pouco encorpado como o sugo, numa relação equilibrada entre líquido e corpo sólido. Mas de nada adiantaria sem o cheddar certo.

Quem come muito queijo cheddar sabe que existe um bom queijo cheddar processado para cada dez mil porcarias que imitam queijo cheddar processado, o que é triste por si só. É claro, aqui no Brasil nunca teremos a coisa de verdade, o queijo cheddar fatiado, 100% britânico, mas temos diferentes níveis de textura e sabor num mesmo tipo de massa imitativa. E o cheddar do Motodax é escolhido a dedo, muito saboroso e pouco enjoativo – algo difícil para os queijos cheddar em geral.

A melhor coisa dos queijos processados é a forma como eles se distribuem por cima da carne. Algo mais fenomenal ainda quando a carne em questão é uma senhora carne, daquelas mãozadas generosas que fazem um bolo feito para ter camadas de crosta, manta e núcleo como o globo terrestre itself. Suculento e no ponto certo, a carne é a cartada que garante a vitória, mas os periféricos são fundamentais também, ora essa.

Agora, a grande surpresa, inédito para mim, foram as batatas fritas. Nada de muito extraordinário, só o fato delas terem gosto de Pringles sabor páprica. Um achado realmente, harmonizou com o sabor forte do cheddar e da cebola, fez um prato coeso. Nada pior do que mergulhar uma batata insossa num pedaço de queijo cheddar e fazê-la incorporar todo o sabor do queijo. Prefiro assim, cada qual com sua identidade marcante.

Ah sim, o pão e o bacon. Gostei deles também. Como o Murilo disse, o pão parece o do barba, e o bacon não era seco nem cru.

No final, o Motodax é um lugar relativamente desconhecido da população em geral, e por isso acaba se tornando uma boa descoberta para quem está atrás do sanduíche ideal como nós. Saí de lá satisfeito por ter encontrado, naquele combo de pão, carne, queijo, salada e batatas, a originalidade e a atitude do Renato Russo careca. Daysleeper, ou, como eu entendia quando criança, Tasty Burger!

Ps: Obrigado ao leitor Átila Gonçalves pela dica do lugar!

Ficha técnica:

Club Sandwich

Ingredientes: “Pão, hamburger motorcaffe de 180g, queijo cheddar, bacon, cebola, alface, tomate e maionese.

Preço: R$18,00 mais uma coca-cola lata de R$3,50. Total de R$12,50, graças à divina promoção.

Ponto alto: O tamanho, o preço, o lugar legal, bom atendimento, batatas sabor páprica.

Ponto baixo: Nada que tenha me chamado a atenção.

Avaliação: A

O Motodax fica na Rua Conselheiro Laurindo,2935, no Prado velho, mais ou menos perto do Tetro Paiol. (41) 3333-3077.

 
9 Comentários

Publicado por em 11/01/2012 em Uncategorized

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

9 responses to “Motodax – Club Sandwich

  1. Carol

    11/01/2012 at 19:25

    Entrar aqui no blog de vocês virou meu Curitiba Delivery, hahaha, minha hamburgueria preferida é o Charles Burguer, rua cândido hartman, 392, Bigorrilho, já aviso que não acompanha as fritas, mas a maionese deles é maravilhosa, conselho!

     
    • Nego Dito

      11/02/2012 at 11:57

      Obrigado pela visita, Carol! Vamos verificar pessoalmente sua hamburgueria favorita, obrigado pela dica!😀

       
  2. Pedro

    11/02/2012 at 15:24

    Muito bom,esse hamburguer deles realmente é uma deliia.

     
    • Nego Dito

      11/02/2012 at 18:23

      Valeu pela visita, Pedro.

       
  3. Doug

    11/02/2012 at 19:44

    E cerveja? Tem coisa boa lá ou só as industriais de milho?
    Não sei se viram, mas o Clube do Malte está com um novo cardápio de hamburguers agora: https://www.facebook.com/clubedomalte.

    A proósito.. minha esposa tem um blog de “generalidades” e fez um post esses tempos atrás sobre hamburguers em Curitiba…. não sei se conhece todos, mas qualquer coisa, dá uma olhada lá http://superdicasdagabi.blogspot.com.br/2012/08/hamburgueres-em-curitiba-que-valem-pena.html

    Parabéns pelo blog!

     
    • Nego Dito

      11/05/2012 at 10:13

      Oi Doug, obrigado pela visita.
      Nem eu nem o Murilo bebemos, então ficamos te devendo a avaliação das cervejas, mas você sempre pode ir lá e tirar a prova.
      Obrigado pelas dicas e pelos links, já abastecemos nossas próximas semanas!
      Um abraço!

       
  4. Kerolin Hafemann

    11/03/2012 at 10:13

    Eu provei e aprovei🙂 é mesmo uma delícia!

     
    • Nego Dito

      11/05/2012 at 10:11

      Unanimidade então?

       
  5. débora voadora

    11/22/2013 at 12:31

    Michael Stipe

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: