RSS

Rolê épico pelo CWBurger Fest

30 Ago

CWBurguer Fest

Curitiba recebeu na última semana o CWBurger Fest, uma espécie de Restaurant Week de hambúrgueres. A ideia era mais ou menos como a original: vários restaurantes participam da promoção e, mediante um preço fixo e “acessível” (dependendo, é claro, de quem eles querem que acesse esse preço), estabelecem um prato extra no cardápio para que as pessoas tenham uma desculpa para conhecer a casa e jantar fora. A diferença é que esse Restaurante Week seguiu rigorosamente o nome e durou mesmo só uma semana,  ou dois fins de semana com uma semana no meio. 8 dias, vejam vocês, é muito pouco para comer hambúrguer em 21 estabelecimentos. Uma pessoa fissurada não vai comer mais do que três hambúrgueres fora na mesma semana, penso eu.

Dito isso, ressalvo que nós não somos fissurados. Somos profissionais. De modo que, quando a assessoria do evento entrou em contato e nos mandou seis vouchers para seis hamburguerias diferentes a menos de 5 dias do fim do evento, pensamos que a melhor forma de mostrar a loucura que é uma festa do hambúrguer seria comer nas seis hambúrguerias no mesmo dia. Tiramos um sábado para isso, entramos no burgermóvel (que é o carro da mãe do Murilo) e fomos escrevendo em tempo real o post que você vai ler a seguir. Sem os floreios e os pequenos ensaios dos demais, para dar mais agilidade a um texto que conceitualmente já nasce grande, a coisa funciona assim: dois parágrafos para cada lanche, com uma descrição do momento, do hambúrguer e a nossa avaliação conjunta (eu e Murilo dividimos todos os lanches), com um link no nome do prato para a foto original, para efeitos de comparação.

Acho que não preciso dizer para não tentarem comer seis hambúrgueres no mesmo dia, mas pro caso de ter alguém se sentindo muito intrépido por aí, vale o aviso: não tentem isso em casa, crianças.

15h30
Nossa odisseia pantagruélica começa no Happy Burger, o restaurante mais família do Cristo Rei. O garçom, a principio, não estava sabendo dos vouchers, perguntou onde a gente tinha pegado eles, com todas as razões do mundo para desconfiar. O hambúrguer em questão é o Happy Ribs, um hambúrguer de costela de 110g, alface roxa, cebola frita, tomate e maionese. Acompanha mostarda à ancienne misturada no mel balsâmico. Resumindo: uma novidade que se reinventa nos detalhes, um refinamento de ultima hora que não deixa de ser válido.

Happy Burger

O primeiro choque foi o visual. Geralmente os hambúrgueres não vêm mesmo igual ao da foto, mas o Happy Ribs veio completamente diferente do que esperávamos. Um amontoado de cebolas, pão amassadérrimo e a alface realmente roxa (diferentemente da foto, que era bem verdinha).
O lanche em si não é ruim, mas não tem muito gosto de costela. Ou talvez fosse e eu estava com muita fome porque me preparei com um bom Ramadã para a empreitada do dia. A carne tem uma crosta chamuscada que sim, lembra vagamente a textura e o sal de uma pururuca, mas nada que passe em um teste cego. A quantidade absurda de cebola não interfere muito no gosto, mas deixa tudo meio grotesco demais. A mostarda é uma grata surpresa, trazendo o gosto doce que qualquer carne de costela exigiria (e talvez isso até ajude no efeito placebo da carne). A batatinha é aquela dos restaurantes self-service bem feitas, mas nada excepcionais.
Total: R$9,58 (uma coca e uma água)

17h09
Chegamos ao Madero de São José dos Pinhais, nosso segundo destino. Lugarzinho longe pra dedéu, mas como era o voucher que nos deram e a gente não é louco de não comer de graça, viemos pra cá. O lanche especial do Mr. Durski, o Angus Premium, é exatamente um x-burger Junior só que com carne de Angus, o que pode ser uma grande falcatrua se a gente levar em conta que hambúrguer é carne moída e carne moída pode ser qualquer parte do boi. Ou seja, podemos estar comendo carne de pescoço de Angus a um preço 2 reais mais caro do que o hambúrguer normal.

Angus Prime

O lanche chegou extremamente rápido. Nem conectou o wi-fi! Mas, qual não foi a surpresa em constatar que o hambúrguer tem exatamente o mesmo gosto dos outros hambúrgueres do Madero? Era inclusive mais seco do que o normal, já que geralmente a carne do restaurante chega pingando no prato. É, acho que o Durski não tava muito a fim de participar desse negócio e aceitou só pra não ter o restaurante referência dele de fora de algo que ele meio que ajudou a popularizar na cidade, que é o business do hambúrguer caro.
Total: R$4,40 (uma coca)

18h45
Cervejaria da Vila. Lugar lotado, 10 reais só pra entrar, alguma banda tocando Iron Maiden com White Stripes e o garçom fala que o hambúrguer vai demorar 45 minutos pra ficar pronto. Haja obstinação pra ficar nesse lugar, amigo. Mas tudo para ver qualé a desse Porky Pig Burger, um hambúrguer de costela de porco, com cebola caramelizada reduzida (encorpada) na cerveja Red Ale e queijo coalho, com geleia de pimenta. O hambúrguer mais caro do cardápio custa 19,90. Vai vendo as atrocidades cometidas em nome da festa…

Porky Pig Ribs
Felizmente, o lanche chegou em “apenas” 35 minutos (ufa!), e valeu a pena! Ele é macio à mordida, bem adocicado pela geléia de pimenta, e o queijo coalho combina perfeitamente com a carne de porco que realmente tem gosto de costelinha. O pão era bem genérico e industrial, mas era macio então valeu. Um dos melhores da noite, embora o Murilo tenha achado muito doce.
Total: R$23,80 (duas entradas de 10 reais e uma coca)

20h05
O quarto hambúrguer do dia é no Cana Benta, um lugar em que a gente não iria não fosse o irresistível lanche que eles colocaram na competição. O Bigburguer Canabenta (adoro esses nomes que misturam vários idiomas numa palavra) tem carne de contrafilé e calabresa, provolone, queijo prato e mussarela, molho especial, rúcula e tomate. A essa altura do campeonato, já não temos mais fome e estamos levemente empanturrados de hambúrguer e Coca-Cola (crianças, se vocês estiverem lendo isso, um aviso: fins de semana como esse são as vantagens da vida adulta que lhes espera), mas ainda conseguimos meter pra dentro bons pedaços de carne, pão e batatas.

Cana Benta
Depois de 50 minutos (!!!) o hambúrguer chegou. É bem verdade que não sei se ele demorou tudo isso pra ser feito porque o nosso garçom parecia bem atrapalhado e deve ter esquecido de passar o pedido pra cozinha. Pra mim, o gosto da carne, aliado ao queijo, é muito parecido com o gosto de uma salsicha que você come no dogão de madrugada. O tomate estava verde, mas o mix de queijos estava legal e combinava com a rúcula, muito embora a rúcula seja um elemento indesejável em qualquer sanduíche. Pro Murilo, a carne era gigantesca (e era mesmo), mas completamente sem graça. Nas palavras dele, “bem mediano e meia boca, sem nada de especial”. É, vamos embora desse lugar.
Total: R$12 (!!!!!) por duas Pepsis. (Pepsises?)

21h08
Atravessamos a rua e chegamos ao Estofaria Bar para comer o quinto hambúrguer da noite. Comendo por pura gula e entrando cada vez mais adentro do império gastronômico do senhor Délio, estávamos intrépidos na nossa missão. O Estofa’s Burger é um misto de apostas certeiras com uma bem arriscada, a saber: o molho tártaro. A carne é de maminha e vem com queijo cheddar fatiado, um pouco de gorgonzola e alface americana.

Estofaria
Chegou muito rápido, e com uma apresentação de respeito, quase idêntica a da foto. O problema principal desse hambúrguer é que ele é muito forte. Muito tempero verde na carne, molho tártaro, cheddar, gorgonzola, ficou enjoativo muito rapidamente, embora deva dizer que o empanturramento precoce possa prejudicar em certo grau o julgamento (mas não muito). As batatas cozidas que vieram junto eram meio sem graça e com muito sal, mas vinham com mais cheddar embaixo, o que era legal.
Total: 0 reais. (Nem 10% cobraram, e não pedimos refrigerante).

21h40
Chegamos no destino final da noite, a Forneria Copacabana. Originalmente iríamos no Barba, mas parece que a cozinha dele explodiu e invalidou nosso voucher final. Viemos cá porque esse era um dos hambúrgueres que queríamos experimentar, mas o lugar parece disputado. Ficamos mofando no bar esperando uma mesa na parte do restaurante, mas tudo bem porque, para ser bem honesto, estávamos bem empanturrados. Mas não iríamos para casa sem experimentar o Vegas Burger, uma espécie de calzone com hambúrguer de maminha, queijo cheddar envolto em massa de pizza e assado em forno a lenha. Originalmente a coisa custa R$27,90, mas graças ao CWBurger Fest, iríamos pagar apenas R$21. Ou melhor, R$22, porque diz o garçom que um real é para doar pra caridade. Eu achei que esse real a mais já estava incluído no preço, mas tudo bem, vamos ajudar algum estabelecimento a parecer mais santinho do que os outros. Vamos ver se não nos cobram taxa de serviço de 30%, porque uma coisa vou dizer: o lugar parece caro e badalado, obviamente não é pro nosso bico e acho que destoamos bastante ao olhar dos garçons.

Vegas Burger
Esse bateu recorde de demora: mais de uma hora para o lanche vir. Acho que a equipe de garçons propositalmente ignorou a gente que estávamos mais mal vestidos, porque uma galera sentou depois da gente e comeu primeiro. Não é o tipo de coisa que faz você criar simpatia pelo lugar, mas enfim, azar o deles. O Vegas Burger é gostoso e vem numa massa bem feita, mas dificilmente vale o preço. O cheddar processado servido aqui é visivelmente de qualidade superior, comprovável na cor fosca e no gosto mais forte do que o normal, e a maminha é bem temperada. A carne estava bem no ponto e as batatas se destacam por serem rústicas cobertas de alecrim, páprica e alho. Não entendi foi esse prato de salada cheio de alface, destoando completamente da nossa escolha de comida pouco saudável. Deixamos de lado a cumbuca e encerramos a noite com essa.

Total: R$29,15 (o Vegas Burger e mais duas Cocas).

—————————————————————————————

Balanço final:

O CWBurger Fest é uma ótima ideia e evidencia a quantidade de hamburguerias competentes e criativas na cidade. Talvez alguns restaurantes pouco interessados em participar, como o Madero, tenham elevado muito o preço final do hambúrguer, mas sabemos que a primeira edição sempre serve para testar a boa vontade do cliente em desembolsar mais ou menos grana. Gostaríamos de ter conhecido mais hamburguerias e mais receitas novas, e eu, particularmente, gostaria de ver esse Porky Pig Burger no cardápio da Cervejaria da Vila, mas sei que uma coisa como hambúrguer de costelinha suína deve dar um bom trabalho para fazer. O evento deveria ser estendido em no mínimo mais duas semanas, para ter pelo menos um dia para cada hamburgueria. De qualquer forma, agradecemos a DP9, organizadora do evento, por lembrar da gente e nos mandar esses vouchers. Sei que fizemos bom proveito deles.

 
6 Comentários

Publicado por em 08/30/2013 em Uncategorized

 

6 responses to “Rolê épico pelo CWBurger Fest

  1. Fred Duba

    09/03/2013 at 15:36

    Hahaha, a banda tocando na Cervejaria da Vila era a minha! Curitiba é um ovo mesmo… nem imaginaria que vcs estriam lá. ;P

     
    • Murilo Ribas

      09/19/2013 at 00:27

      Oi Fred, acho que ainda voltamos na Cervejaria da Vila, talvez com mais tempo para ver a banda e fazer valer o preço da entrada.

      Valeu, volte sempre!

       
  2. BETO

    09/04/2013 at 12:34

    O Obelix Burger do Babilônia estava espetacular !!!!! Valeria a pena a visita…. Vamos aguardar o proximo… Em 2014 serão realizados em duas datas.

     
  3. Beto

    09/07/2013 at 13:03

    Blog legal! Gostaria que vcs vissem este que sigo a tempos! A grande diferença para o de vcs está na sequência das fotos. Fica mais interessante ver a desconstrução dos meninos! Neste caso mostram o burger inteiro como vcs e depois partido/mordido ao meio. Com isto enxergamos a carne, suas cores, seu ponto, sua moagem, a salada, molhos etc…etc…. E Pensem se não vale a pena! E se inscrevam !!!! Quase todo dia tem posts…. São mais de 30 caras em toda a américa clicando burgers…..

    http://aht.seriouseats.com/archives/2013/04/peter-luger-steak-house-burger-review-brooklyn.html

    Em tempo, preparem-se pois em até 60 dias estaremos inaugurando nossa hamburgueria. Os convidarei e não irei querer saber da presença de vcs na primeira vez, somente nas outras 3.000.000 de vzs….

    Grande abç e valeu pelo blog….

    Beto Nogueira

     
    • Murilo Ribas

      09/19/2013 at 00:23

      Oi Beto!

      Valeu pelo comentário e pelo link, dei uma olhada e achei bem legal. Vou voltar a dar mais umas olhadas.
      Particularmente não gosto muito da foto do sanduíche aberto, acho que fica feio. As nossas fotos faço em 30 segundos, sem produção, não é para ser propaganda é mais um registro de como o bicho chega na mesa.
      Tento não perder muito tempo com as fotos porque quero comer ainda quente, isso pra mim é tão importante quanto fotografar.

      Quando tiver com a sua hamburgueria nos convide então. Se der vamos sim.

      Obrigado e volte sempre!😉

       
  4. Beto

    09/11/2013 at 17:55

    Fala dois….

    Achei um post interessante para vcs verem o comentado…. Behind the scenes ! Antes de ser compactado e publicado no Hamburger Today!!!!

    http://aht.seriouseats.com/archives/2012/05/behind-the-scenes-burger-pat-lafrieda-little-owl-joey-campanaro-slideshow.html#show-242193

    Cliquem em cima das fotos…. Slide!

    É isto ou bem parecido que todos encontrarão na futura hamburgueria…..

    Abrax

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: